Como funcionam as ongs protetoras dos animais?


Até pouco tempo atrás, os maus tratos contra os animais eram atitudes do cotidiano. Por ignorância ou descaso, aplicar castigos físicos ou manter animais de estimação ao relento, sujeitos ao frio, ao vento e à chuva eram situações consideradas absolutamente normais. Felizmente – e, em grande parte, graças à atuação das sociedades protetoras dos animais – a situação está em grande transformação. Mas, como funcionam estas ONGs?

Organizações não-governamentais (ou ONGs) são associações da sociedade civil, sem fins lucrativos, que desenvolvem ações em diferentes áreas e que, geralmente, mobilizam a opinião pública e o apoio da população para melhorar determinados aspectos da sociedade; assim, elas se mantêm com o dinheiro de doações, conseguidas por meio de divulgações nas mídias sociais.

O seu funcionamento básico é por meio de denúncias, recolhimento do animal em condições de abandono, tratamento e termina quando ele é adotado. O trabalho, no entanto, não fica restrito somente a animais de estimação – cães e gatos – se abrange a todos os animais, inclusive animais silvestres.

Listamos abaixo 4 ongs que valem a pena acompanhar:

 

INSTITUTO LUISA MELL

Fundado em fevereiro de 2015, o Instituto Luisa Mell atua principalmente no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. Eles mantêm um abrigo com cerca de 300 animais, entre cães e gatos, todos resgatados das ruas, onde eles são protegidos, alimentados e aguardam pela chance de serem adotados

O seu trabalho, no entanto, não se resume a resgate e adoção. São muitos os objetivos, tais como:

  • Defender os animais
  • Zelar pelo Meio-Ambiente
  • Acolher cães, gatos ou qualquer animal em situação de risco nas grandes cidades, tratá-los e promover sua adoção ou reintegrá-los ao meio-ambiente.
  • Educar crianças e adultos sobre a importância de cuidar do meio-ambiente e respeitar a natureza e os animais
  • Fiscalizar os órgãos públicos no cumprimento da Lei
  • Denunciar crimes de maus-tratos ou qualquer outro previsto na Lei 9.605/98, Artigo 32

 

PARAÍSO DOS FOCINHOS                                          

O Paraíso dos Focinhos é uma organização sem fins lucrativos, localizada no Rio de Janeiro, criada em 2012 em um espaço de 5 mil m², para resgatar, proteger, tratar e amar animais de rua. Abrigam cerca de 270 animais com histórico de zoofilia, maus tratos, abandono e até baleados.  Em 2018, a ONG recebeu a certificação de OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), um título recebido diretamente do Ministério da Justiça – somente dado a organizações idôneas e transparentes. Através desta nova qualificação, estamos autorizados a firmar parcerias com órgãos públicos e receber doações de empresas privadas através de benefícios fiscais.


 

PATA VOLUNTÁRIA                                                                                     

O Instituto Pata Voluntária é um trabalho de proteção e ativismo animal que visa resgatar, reabilitar e encaminhar animais de pequeno e grande porte para adoção. Atuamos em MACEIÓ-AL. Buscam proporcionar uma boa qualidade de vida, segura e confortável aos animais resgatados, até que estejam aptos a adoção responsável.

Compartilham dicas para cuidados com os animais, informações contra a exploração e crueldade animal, e através do veganismo acreditamos que podemos dar aos animais o mínimo que eles merecem, a vida.

Incentivamos a adoção, veganismo, voluntariado, libertação animal e ao amor!

 

APAMA                                                                                                                            

A Apama é uma organização não governamental do município de Lajeado-RS que busca através de denúncias proporcionar uma qualidade de vida a animais abandonados e negligenciados; além disso, ajudam na divulgação de animais desaparecidos. Atualmente, cuidam de mais de 300 cães e estão movendo uma campanha para a finalização de canis para proporcionar um espaço mais adequado a eles.

 

Créditos:

Francieli Markoski