Dirofilariose Canina – Verme do coração


Dirofilariose Canina – Verme do coraçãoDirofilariose é também conhecida como doença do verme do coração. O parasita responsável pela dirofilariose é um nemátodeo chamado Dirofilaria imitis. Na fase adulta os vermes são longos, de cor esbranquiçada e chegam a medir 30 cm de comprimento. As microfilárias medem apenas 300 micras e são encontradas em quantidades variáveis na corrente sanguínea.

Os cães são infetados por formas larvares do parasita, transmitidas pela picada de um mosquito. Existem mais de 70 espécies de mosquitos conhecidas no mundo que servem de vetor. No Brasil são várias as espécies, como o Aedes fluviatilis, Aedes scapularis e Aedes taeniorhynchus, e agora mais recentemente relacionaram o Aedes aegypti como mais um vetor do verme do coração. Nada para se admirar, afinal estamos num País onde não existem políticas públicas eficientes de prevenção e saneamento básico.

Através da pele e da musculatura, as microfilárias migram e penetram nos vasos sanguíneos, alojando-se, finalmente, no ventrículo direito, na artéria pulmonar e na veia cava. Dependendo do grau de infestação, os parasitas poderão provocar uma redução considerável da função cardíaca, dificuldades respiratórias e uma tosse crônica e morte.

 

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito de duas formas:

Através de um esfregaço de sangue, observado ao microscópio, para tentar detectar a presença de microfilárias, ou através de uma amostra de sangue para detectar a presença de antígeno de parasitas adultos. Este tipo de teste só deve ser efetuado cerca de 6 meses após a infecção. Na clínica quatro Patas, em Venâncio Aires – RS, temos um teste Rápido chamado Snap 3DX, que pesquisa ao mesmo tempo Dirofilaria, Erlichia canis e Borrelia burgdorferi. Esse teste possui alta especificidade.

Tratamento

O tratamento da dirofilariose é prolongado e necessita de acompanhamento frequente por parte do Médico Veterinário. O tratamento pode causar efeitos secundários,  muitas vezes associados aos próprios medicamentos ou à morte dos parasitas adultos, o que pode levar à formação de trombose.


Prevenção

A prevenção tradicional é feita através de comprimidos ou injeções mensais. Estes tratamentos têm como objetivo a eliminação das formas larvares da Dirofilaria, evitando que evoluam para parasitas adultos. Recentemente foi lançado um medicamento injetável que protege o cão por um período de 12 meses.

Proteger contra a picada do mosquito também é muito importante, existem à venda coleiras repelentes que além de repelir o mosquito responsável pela transmissão da Dirofilariose, também protege contra o mosquito responsável pela Leishmaniose.

 

Créditos:

M.V Luciano Frozza

Clínica Veterinária Quatro Patas

Venâncio Aires – Rio Grande do Sul

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*